Como você viu aqui no DasPlus, o dia 12 de novembro promete, com a realização do Mulherão Fashion Tour em Minas Gerais. A versão pocket do maior evento plus size do país aporta em BH na primeira parada de uma turnê que percorrerá as principais capitais brasileiras, levando moda plus size, desfiles, bate-papos e trocas de experiências entre grifes, personalidades do segmento, formadores de opinião e consumidores.

Onde tem moda, você sabe, as passarelas costumam ser o centro das atenções. Aqui, serão 16 belíssimas mulheres, desfilando peças de 11 marcas, que compõem o lineup do evento.

Oito delas você conhece agora!

 

aline-birkeller

 

Aline Birkeller, 28 anos, vendedora, manequim 50

Dois anos atrás, tive o prazer de participar de um concurso e de conhecer Silvia Neves e Rafa Coelho [editoras do DasPlus]. Depois disso, tive outro prazer, que foi desfilar no Fashion Weekend Plus Size, organizado pela Renata Poskus. Desde então, me profissionalizei, fiz cursos, um book com o fotógrafo das misses Cassiano Grandi… Fico feliz em servir como referência para outras mulheres. Mulheres que na maioria das vezes são excluídas, por não se encaixarem nos padrões impostos pela sociedade.

 

carol-saraiva

 

Carol Saraiva, 33 anos, professora de biologia, manequim 48

O plus size chegou em minha vida através da insistência de um aluno. Veio suprir uma necessidade de trabalhar com moda, que era um sonho de adolescência. Há pouco mais de um ano como modelo, vários foram os eventos importantes no currículo, entre eles o Miss Minas Gerais Plus Size Oficial e o Fashion Weekend Plus Size, agregando em experiência e também em amizades para a vida. Trabalhar com moda plus size é mais do que uma ocupação. É uma maneira de dizer que podemos ser o que quisermos, exatamente do jeito que somos. Estar no casting do Mulherão Fashion Tour é mais uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional, além de poder participar do fortalecimento do segmento em BH.

 

stephanie-raissa

 

Stephanie Raissa, 26 anos, empresária do ramo de casamentos, manequim 46

Há dois anos, conheci as meninas do DasPlus, em especial a Rafa Coelho. Eu estava numa fase complicada. Tinha ganhado peso, e resolvi fazer uma consultoria de estilo com ela. Desde então, acompanho os belos incentivos de autoestima aos leitores. Através desse primeiro contato, tive oportunidade de conhecer várias modelos do meio, atuando na organização do Miss Minas Gerais Plus Size Oficial, o que foi uma experiência e tanto. Fui para São Paulo acompanhando a comitiva de MG e acabei estreando na passarela do Fashion Weekend Plus Size. Em seguida, fiz um book com Cassiano Grandi e desde então tenho visto que várias pessoas têm se espelhado em mim, no sentirem valorizadas com o corpo que têm, e isso é muito gratificante. Hoje, não me sinto insatisfeita com meu peso. Claro que a gente sempre quer melhorar aqui ou ali, mas me sinto bonita e sensual, e acredito que o Mulherão Fashion Tour veio para mostrar o quanto podemos nos sentir assim com o nosso corpo, com roupas e acessórios de moda e da melhor qualidade.

 

thais-amorim

 

 

Thaís Amorim, 31 anos, funcionária pública, manequim 50

O que me motivou a entrar para o mercado plus size foi a aceitação que eu aprendi a ter da minha beleza e do meu corpo. Acreditar que a beleza e a moda têm um alcance muito maior do que estereótipos e montagens. Adoro moda! E passei a me amar muito. Eu só tenho este corpo para o resto da vida, e preciso me amar, não é verdade? [Thaís disputou o Miss Minas Gerais Plus Size Oficial, ficando em 5º lugar].

 

vivi-olly

 

Vivi Olly, 24 anos, publicitária, modelo e blogueira, manequim 48

Fui modelo de passarela na infância. Durante minha pré-adolescência, fui ganhando peso, e com isso fui desmotivada a fazer o que tanto gostava. Acabei desistindo de algo que sempre sonhei, pelo que era mostrado na mídia e exigido pela sociedade como padrão de beleza. Há mais de dois anos, assumi meu cabelo crespo. Isso pra mim foi o divisor de águas para minha total aceitação e valorização [hoje Vivi Olly produz conteúdo para o blog e canal Blackacheadas]. Percebi o quanto eu ia contra a minha felicidade tentando me enquadrar em padrões que não fazem parte do que eu sou. Com a ajuda de amigos e familiares, recomecei a minha vida como modelo no ano de 2015. Concorri ao Miss Minas Gerais Plus Size Oficial, ficando em quarto lugar na seletiva regional, e fiz o curso de modelo e manequim plus size da Agência Doze. Passei a me vestir sem medo de usar cores, de ser a Vivi que tem como marca registrada a alegria estampada no rosto e no corpo.

 

andreia-morandini

 

Andreia Morandini, 50 anos, administradora de empresas, manequim 50

Estou no mercado de moda plus size e gestante há 10 anos, auxiliando a parte administrativa do meu marido Maurício, que é representante comercial nesses segmentos. Hoje percorro o caminho da profissionalização, cujo ponto de partida foi o concurso Minas Top Plus, através das encantadoras Rafa Coelho e Silvia Neves, as top das top no ramo.

 

adriana-moreira

 

Adriana Moreira, 33 anos, cabeleireira, manequim 44/46

Sou solteira e tenho 3 filhos. Quando era pequena, meus pais não tinham condições de me comprar roupas, e muito menos de arrumar meu cabelo. Então, como tinha certa facilidade em aprender, comecei a arrumar o cabelo da minha irmã, ainda aos 13 anos. Aos 14, tive um filho. Comecei a trabalhar pelo sustento dele e meu. Fui gostando do ofício e hoje sou profissional em cabelo afro.

 

elisete-lopes

 

Elisete Lopes, 32 anos, educadora na lei 10.639 e coordenadora do projeto Empoderart’, manequim 46

Nunca me vi modelo. Sempre me achei feia, sofri abusos da infância à adolescência e me sentia horrenda. Morei em abrigos de BH, por isso era muito magra. Aí, quando tive minha filha, engordei. Me sentia mais feia ainda, mas achava minha filha linda, e comecei a levá-la em desfiles, porque ela chamava muito a atenção. Então, as pessoas começaram a me perguntar se eu era modelo. Achava que era brincadeira, até que passei a receber convites para desfiles e fotos. Bem, tem dado certo, mas não sei se posso me considerar modelo. Me considero sobrevivente, mulher negra, militante e de periferia. Esse projeto que criei é justamente para que outras mulheres que tiveram a mesma vivência que eu ou outras parecidas se sintam bonitas, se sintam mulheres tão dignas quanto qualquer outra.

 

No próximo post, você vai conhecer as outras 8 modelos do casting oficial Mulherão Fashion Tour.

Curta a página do Mulherão Fashion Tour no facebook.

Aproveite para acessar o evento, e confirme a sua presença! Ah, e não se esqueça de convidar amigas e amigos!

 

Serviço:

MULHERÃO FASHION TOUR

Sábado, 12/11/16, das 11 às 20 hs

Hotel Sol Belo Horizonte

Rua da Bahia, 1040, Centro – Belo Horizonte – MG

Entrada franca

Curta a fanpage do DasPlus no facebook clicando AQUI, e fique por dentro de todos os nossos conteúdos em primeira mão.