Não, o DasPlus não enlouqueceu, nem amanheceu de mau humor. O título é só uma provocação. Mais do que isso: uma constatação.

O brasileiro nunca ingeriu tanto açúcar como nos tempos atuais. Em média, estamos consumindo nada menos do que o triplo da quantidade diária recomendada: 150g, contra os 50g indicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A dose “certa” é equivalente a não mais do que duas colheres de sopa por dia.

Esse excesso, associado à má alimentação, pode ser uma bomba-relógio no seu organismo. O açúcar (geralmente na forma de glicose) é o principal combustível do corpo. Quando comemos mais açúcar do que o necessário para as nossas diversas atividades, inicialmente ele é estocado no fígado na forma de glicogênio, para ser novamente convertido em glicose no momento em que ela faltar (como durante um jejum prolongado, por exemplo). Mas se os estoques de glicogênio atingem a capacidade máxima, o excesso de açúcar passa a ser transformado em gordura, que então poderá ser acumulada por todo o corpo.

As consequências negativas desse quadro podem ser as mais diversas: alterações nos níveis de triglicérides, de glicemia e da pressão arterial, resistência à insulina, diabetes, acúmulo de gordura, obesidade e até mesmo diversos tipos de câncer.

E você se engana se pensa que o controle do açúcar deve ser uma preocupação apenas para quem está acima do peso. Juliana Dantas é nutricionista do Hospital do Coração (HCor) de São Paulo. Ela lembra que o alerta sobre a moderação no consumo do alimento vale para todas as pessoas, mesmo para quem está, digamos, em dia com a balança. “Estudos recentes evidenciam que a carga glicêmica elevada pode aumentar em até 17% o risco de doenças cardiovasculares. Os alimentos industrializados são os principais vilões para o consumo exagerado do açúcar, principalmente aqueles que possuem o açúcar derivado do milho em sua composição”, observa.

A nutricionista lembra, por outro lado, a dificuldade de se lidar com o problema. O açúcar está presente em vários alimentos de forma oculta, especialmente nos industrializados, mesmo naqueles de sabor salgado. Ela diz que o ideal é educar o paladar e não tornar bebidas e alimentos ainda mais doces. “Fica cada vez mais evidente que uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes e cereais integrais trazem enormes benefícios à saúde”, recomenda.

Para tornar menos árdua a tarefa de uma ingestão moderada de açúcar, olho na tabela abaixo. Ela mostra os níveis existentes em cada 100ml ou 100g dos diversos alimentos listados. Só para lembrar: o consumo diário de açúcar não deve ultrapassar 50g por dia:

Foto: morgueFile

Foto: morgueFile

 

Produto 100 ml/g
Chás prontos 9 g
Sucos prontos 13,3 g
Refrigerante à base de cola 13,6 g
Refrigerante à base de guaraná 10 g
Achocolatado prontos 23,5 g
Achocolatado em pó 9 g
Energéticos 11 g
Biscoitos recheados 280 g
Chocolate ao leite 98 g
Chocolate branco 112 g
Barras de cereal 56 g
Cereal matinal açucarado 44 g
Geleia 13 g
Bala sabor morango 80 g

Fonte: HCor